Segurança do Trabalho e Medicina Ocupacional em Curitiba

Mais resultados...

Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors

O Cerume ou comumente chamado de “cera” é produzida no conduto auditivo externo com a função de proteger  e lubrificar  nossos ouvidos. Muitas vezes essa produção é excessiva  provocando sintomas como dor, pruridos (coceiras), sensação de ouvido tampado, zumbidos  e diminuição da audição.

O risco de obstrução pode aumentar com a idade, com o uso de aparelhos auditivos, tampões  e introdução de cotonetes ou  outros objetos.

Como  a produção de cerume é um processo natural  e importante para proteção dos nossos ouvidos,  deve-se procurar um especialista em ouvidos ( medico Otorrinolaringologista) para avaliação e retirada desse excesso cerume.

No dia-a-dia, podemos limpar os ouvidos durante o banho e secar com a toalha, evitando sempre utilizar objetos, cotonetes  e remédios caseiros.

Rubya Mara de Mattos Jurków

Fonoaudióloga

CRFA: 6162

 

 

A IMPORTÂNCIA DA AUDIOMETRIA OCUPACIONAL

 

A Audiometria Ocupacional tem como finalidade a avaliação da audição dos trabalhadores expostos a níveis elevados de ruído ou produtos químicos, previsto na Legislação Trabalhista (NR 7 e Portaria 19 09/04/1998). É extremamente importante, pois acompanha a Saúde Auditiva do trabalhador, determinando o tipo e grau da perda auditiva, se houver.

Algumas condutas devem ser observadas no momento da realização deste exame:

A Audiometria Ocupacional deve ser realizada no mínimo no processo de admissão, demissão e nos exames periódicos dos trabalhadores, conforme descrito no PCMSO (Programa de Controle Médico e Saúde Ocupacional).

Rubya Mara de Mattos Jurków

Fonoaudióloga

CRFA: 6162

O E-SOCIAL E SUAS PENALIDADES

Como quase todas as leis, o e-social tem suas penalidades, e não é a toa que foi um sistema criado para que as empresas comuniquem-se com o governo para a prestação de contas referentes às obrigações fiscais, previdenciárias e trabalhistas de forma unificada conforme decreto nº 8373/2014.

O objetivo do sistema é simplificar a prestação de informações e cumprimento das obrigações com a eliminação da duplicação e repetição das informações prestadas, organizando os dados tributários, previdenciários e das relações do trabalho em um único sistema.

 

Penalidades / Multas previstas pelo não cumprimento da obrigação:

 

As empresas estão sujeitas a penalidades e multas caso não prestem as informações de forma correta. Além disso, houve certas mudanças no procedimento de contratação.

O e-social alterou o processo de admissão, que deverá ser enviado até o fim do dia anterior ao início da prestação de serviço do colaborador recém contratado. Anteriormente o contrato de um trabalhador era enviado através do CAGED (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) até o dia 7 do mês subsequente à contratação.

O não cumprimento do novo prazo caracterizado pela falta de registro do funcionário acarreta em multa que pode variar de R$ 402,53 a R$ 805,06 por funcionário e em caso de reincidência o valor dobra. (art. 47 CLT).

O empregador também tem a responsabilidade de atualizar as informações referentes os dados cadastrais e contrato de trabalho informando qualquer alteração que venha a ocorrer no período do vínculo empregatício. Neste caso o valor da multa varia de R$ 201,27 a R$ 402,54 por funcionário relativo às alterações. (art. 41 parágrafo único CLT).

Outra infração que gera multa é a não realização dos exames ocupacionais (admissional, periódicos, mudança de função, retorno ao trabalho, demissional). O valor da multa neste caso pode variar de R$ 402,53 a R$ 4.025,33. (art. 201 CLT).

A falta de emissão de CAT em caso de acidente de trabalho, independente de afastamento do empregado, também gera multa que pode variar entre o limite mínimo e o limite máximo do salário de contribuição. A multa pode dobrar de valor em caso de reincidência da empresa. (art. 19 a 21 da lei nº 8.213/91).

Em caso de não emissão do PPP ou o preenchimento do documento com erros gera multa que varia de R$ 1.812,87 a R$ 181.204,63. O valor será definido de acordo com a gravidade da situação. (art. 58 da lei nº 8.213/91).

Outra situação que causa multa é a falta de informação referente a afastamento temporário (férias, auxílio doença, licença maternidade, etc).  A multa neste caso pode variar de 1.812,87 a R$ 181.204,63. (art. 8.212/92).

 

Como podemos observar, o sistema de dados do e-social é integrado em todos os processos, centraliza as informações de forma detalhada, automatiza o método de fiscalização e agiliza a identificação de irregularidades.

É necessário que as empresas ajustem o quanto antes seus processos internos a fim de evitar preocupações e possíveis penalidades por não ter ajustado a rotina da empresa às exigências do e-social.

Todo funcionário é peça fundamental para o bom desempenho de uma empresa. Hoje em dia, muitas empresas notaram que investir na segurança e na saúde do trabalhador tem aumentado significativamente a produtividade.

Estudos norte-americanos apontaram uma perda anual de 150 bilhões de dólares por causa do estresse no local de trabalho. Já no Brasil, o IBGE (Instituto Brasileiros de Geografia e Estatística) apurou que as principais causas de faltas ao serviço devem-se a gripes, dores nas costas e pescoço. Sem falar que cerca de 700 mil acidentes de trabalho acontecem todos os dias.

Com poucos dados, como relatados acima, percebe-se que nos dias atuais, é indispensável cuidar da saúde e segurança dos colaboradores.

Vantagens do Investimento na Segurança e Saúde do trabalhador

Com os dados mostrados anteriormente, é possível compreender que dar mais atenção à saúde do trabalhador pode trazer vários benefícios para a empresa. Dentre eles, o principal certamente é o aumento da produtividade. Uma pesquisa afirma que funcionários felizes com o serviço chegam a ser até 10% mais produtivos do que os insatisfeitos. Além disso, eles se tornam mais engajados, fidelizados e motivados, já que se sentem orgulhosos de fazer parte da equipe. 

Outra questão que tem melhora significativa é a redução do absenteísmo. De acordo com um estudo, a empresa que cuida da saúde do trabalhador pode reduzir em até 40% o número de ausências no trabalho. Isso se deve, principalmente, ao fato de que elas realizam a prevenção de inúmeras doenças que poderiam prejudicar seus colaboradores. Além disso, disponibilizar exames e consultas contínuas torna possível o reconhecimento precoce de possíveis doenças ocupacionais, diminuindo o número de afastamentos.

A chave para que ocorram todas estas mudanças se deve muito a conscientização que é gerada pela empresa aos seus colaboradores, pois eles passam a atuar de forma prevencionista, assim como tornam-se agentes propagadores de informação, gerando um ambiente mais seguro, e assim reduzindo consideravelmente a quantidade de acidentes de trabalho.

Investimento, não custo

Com tantos benefícios, é importante que as empresas compreendam que realizar determinadas ações visando melhorar a saúde do trabalhador deve ser visto como um investimento e não como custos extras. Afinal, a prevenção se torna muito mais econômica do que futuros gastos em casos de processos. Afinal, inclui o pagamento de advogados, a redução da produção, a contratação de profissional temporário e a perda de tempo.

Como começar?

Para dar início ao trabalho de conscientização e melhorar a saúde do trabalhador, existem diversas ações que as empresas podem realizar: 

– Estar com a documentação trabalhista em dia (PPRA; PCMSO; LTCAT; LAUDO DE INSALUBRIDADE; LAUDO DE PERICULOSIDADE; AET entre outros…)

– Promover palestras internas com o intuito de orientar os colaboradores;

– Incentivar práticas que mostrem a importância de cuidar da saúde;

– Auxiliar e informar os colaboradores a manter hábitos saudáveis;

– Promover programas de saúde e qualidade de vida, tais como aulas de ginástica laboral, massagem, massoterapi;

– Atuar na orientação, buscando a prevenção de males como hipertensão, obesidade e diabetes;

Tais ações, além de prevenir doenças, fornecem uma maior segurança para os colaboradores na sua jornada laboral, e ainda diminuem os níveis de estresse e cansaço no local de trabalho, assim como causam um retorno positivo para a empresa.

A Apto Brasil dedica-se aos serviços voltados à segurança do trabalho e a medicina ocupacional. Se você quiser saber mais sobre nossas soluções em saúde do trabalhador ou precisa de ajuda para implantar essas mudanças na sua empresa, entre em contato conosco!

De acordo com a Organização Internacional do Trabalho (OIT), o Brasil é o quarto país com mais acidentes de trabalho, atrás apenas da China, Índia e Indonésia. Fato que destaca a importância de se investir em segurança do trabalho.

Para se ter uma ideia do cenário no país, foram registrados mais de 3,5 milhões acidentes de trabalho. Desses, cerca de 14 mil foram fatais. Esses dados são do Observatório Digital de Saúde e Segurança no Trabalho, de 2012 a 2016.

É muito importante assegurar a saúde e segurança dos trabalhadores. A seguir, você encontra uma série de  motivos para uma empresa investir em segurança do trabalho. Confira:

Motivos para investir em segurança do trabalho

 

Cria um ambiente seguro

Para que o trabalhador possa desempenhar a sua tarefa de forma eficaz, é necessário que ele se sinta seguro. Isso vale tanto para quem atua em locais com maior exposição a riscos, como acontece na construção civil ou na indústria, ou também para aqueles trabalhadores com menor exposição a riscos, como por exemplo em ambientes administrativos.

Prevenção de acidentes e cuidado com a saúde dos trabalhadores

A segurança do trabalho tem como foco a prevenção de acidentes e cuidado com a saúde dos trabalhadores. Por meio de uma análise específica das atividades executadas pelos trabalhadores, é possível determinar quais atividades oferecem maiores riscos e a melhor forma de executá-las sem que os acidentes de trabalho aconteçam. Outra atividade muito importante executada pela segurança do trabalho, é a identificação e reconhecimento dos agentes de risco no ambiente de trabalho, em alguns casos é necessário a utilização dos EPI’s (Equipamentos de Proteção Individual) ou EPC’s (Equipamentos de Proteção Coletiva) para garantir a saúde dos trabalhadores. A correta utilização dos equipamentos de segurança proporcionam aos trabalhadores a proteção específica para determinados agentes de risco que possam estar presentes no ambiente de trabalho, por isso a necessidade de avaliar cada ambiente de trabalho e propor as melhorias necessárias para garantir um ambiente seguro.

Aumenta a produtividade

Um espaço de trabalho que ofereça segurança estimula os trabalhadores a desempenharem suas funções com mais eficiência e com maior motivação. Isso acontece porque sentem-se mais seguros e também mais valorizados. Em consequência, o empregador obtém melhor aproveitamento da mão de obra.

Reduz despesas

Ao investir em segurança do trabalho, a empresa também está se prevenindo contra possíveis gastos gerados por conta de um acidente ou doença ocupacional. Como, por exemplo, afastamento do funcionário, despesas médicas, requalificação de mão de obra, atrasos, multas, danos materiais, ações trabalhistas, etc.

Diminui transtornos

As normas de segurança do trabalho, assim como as responsabilidades do empregador, estão devidamente regulamentadas na Constituição Federal. No país todo, existe um grupo de fiscais que monitora e atua nas irregularidades encontradas. Portanto, investir em segurança do trabalho é uma forma de cumprir a lei e não estar passível de multas, embargos e transtornos gerados por conta disso.

Valoriza a marca

Uma empresa que investe em segurança do trabalho demonstra que realmente se preocupa com o bem-estar dos seus empregados, assim como passa uma imagem de zelo pela sociedade como um todo e aumenta a credibilidade perante os clientes e investidores.
São diversos os benefícios de investir em segurança do trabalho. Essa dedicação garante a preservação da saúde dos seus trabalhadores. Consequentemente, gera mais produtividade e lucro para os empresários.
desenvolvido com por APTO BRASIL © 2024